The Influence Of Scholastic Philosophy on the Formation of Economic Thought

  • gabriel estruzani queiróz de melo Soraya Andressa Estruzani Queiróz de Melos
Keywords: Scholastic Philosophy, Economic Thought, University of Salamanca, Market, Usury

Abstract

The present study analysis the influence that scholastic philosophy had on the formation of fundamental concepts in economic thought. It shows scholastic considerations on market self-regulation, trade, fair price, value theory, competition, property, inflation and the value of money. The University of Salamanca deserves prominence both because it was the cradle of free market economic theories and because it tried to reconcile economic ideas with the moral and historical bases of Judeo-Christian matrix, which always guided the scholastic thinkers. Through bibliographical and historical research, both of primary sources and of later studies, the present work shows the scholastic roots of contemporary economic schools of thought and
the relationship between the concepts they use and their original authors.

Downloads

Download data is not yet available.

Metrics

Metrics Loading ...

References

AMADO, Adriana Moreira. Limites monetários ao crescimento: Keynes e a não-neutralidade da moeda. Ensaios FEE, v. 21, n. 1, 2000.

ANTISERI, Dario; REALE, Giovani. História da filosofia: patrística e escolástica. São Paulo: Paulus, 2003.

ASSAF NETO, Alexandre. Mercado Financeiro. São Paulo: Atlas, 2003.

AZPILCUETA, Martin de. Commentary on the resolution of money. Journal of market and morality, v. 7, n. 1, 2004.

BARBOSA, Camilo de Lelis Colani; PAMPLONA FILHO, Rodolfo. Compreendendo os novos limites à propriedade: uma análise do Artigo 1.228 do Código Civil Brasileiro. Revista Magister de Direito Civil e Processual Civil, Porto Alegre, n. 9, 2004.

BOBBIO, Norberto. O positivismo jurídico: lições de filosofia do direito. São Paulo: Ícone, 1999.

CAMPOS, Roberto de Oliveira. Uma Interpretação Institucional das Leis Medievais da Usura. Revista Brasileira de Economia, Rio de Janeiro, v. 6, n. 2, 1952. Disponível em: http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/rbe/article/view/2387. Acesso em: 12 out 2018.

CARCANHOTO, Reinaldo Antônio. O valor, a riqueza e a teoria de Smith. Análise Econômica, Porto Alegre, v. 1, n. 15, mar/1991.

CARVALHO, Olavo Luiz Pimentel de. A escolástica: aula 15. São Paulo: É realizações, 2007.

CHAFUEN, Alejandro. Faith and Liberty: The Economic Thought of the Late Scholastics. Lanham, Md.: Lexington Books, 2003.

COPLESTON, Frederick. A history of philosophy: Medieval philosophy. New York: Doubleday, 1950.

CUSTÓDIO, Sueli Sampaio Damin. A organização política no século XIV segundo o “Tratado sobre a moeda” de Nicolas Oresme. Kriterion, v. 131, 2015.

DEBONI, Giuliano. Propriedade privada: do caráter absoluto à função social e ambiental: sistemas jurídicos italiano e brasileiro. Porto Alegre: Verbo Jurídico, 2011.

FABRE, Raúl Gozález. Justicia em el mercado: La fundamentácion de la ética del mercado según Francisco de Vitória. Caracas: Publicaciones UCAB, 1998.

FEIJÓ, Ricardo. História do pensamento econômico. São Paulo: Atlas, 2001.

FRIEDMAN, Milton. Episódios da História Monetária. Rio de Janeiro: Record, 1992.

GARCIA, Manuel Enriquez.; VASCONCELLOS, Marco Antônio Sandoval de. Fundamentos de economia, São Paulo: Saraiva, 2004.

GRICE-HUTCHINSON, Marjorie. The school of Salamanca: readings in Spanish monetary theory, 1544-1605. Oxford: Orxford University Press, 1952.

GENNARI, Adilson Marques; OLIVEIRA, Roberson de. História do pensamento econômico. São Paulo: Saraiva, 2009.

GREGG, Samuel. Ethics and the Market economy: insights from Catholic moral theology. Economic Affairs, v. 24, n. 2, 2004.

HUERTA DE SOTO, Jesús. Juan de Mariana y los escolásticos españoles. Dendra Médica Revista de Humanidades, [s. l.], v. 13, n. 1, 2013.

HUIZINGA, Johan. O declínio da idade média. Lisboa: Ulisséa, 1978.

IORIO, Ubiratan Jorge. Dos Protoaustrícos a Menger: Uma breve história das origens da escola austríaca de economia. São Paulo: LVM, 2017.

JONER, Henrique. A filosofia da economia e o monopólio na segunda escolástica. 2015. Dissertação (Mestrado em filosofia) – Unidade acadêmica de pesquisa e pós-graduação, Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, 2015.

LAURES, John. The political economy of Juan de Mariana. New York: Fordham University Press, 1928.

LE GOFF, Jacques. Os intelectuais da Idade Média. Rio de Janeiro: José Olympio, 2003.

LE GOFF, Jacques. A Idade Média e o dinheiro: Ensaio de uma antropologia histórica. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2014.

LOPES, Luiz Martins; VASCONCELLOS, Marco Antônio Sandoval de. Manual de macroeconomia: básico e intermediário. São Paulo: Atlas, 2008.

MACEDO, Paulo Emilio Vauthier Borges de. O mito de Francisco de Vitória: defensor dos direitos dos índios ou patriota espanhol?. Revista de Direito Internacional, v. 9, n. 1, 2012.

MANKIW, Nicholas Gregory. Principles of macroeconomics. Boston: Cengage Learning, 2012.

MARX, Karl. História crítica da teoria da mais-valia. 18 de Brumário. Buenos Aires: Clacso Libros, 1974.

MARX, Karl. O capital: crítica da economia política. O processo de produção do capital. São Paulo: Abril cultural, 1984.

MATIAS-PEREIRA, José. Custos da escassez no meio circulante do Brasil de moedas metálicas. Observatório de la econômica latino-americana, n. 123, 2010. Disponível em: http://www.eumed.net/cursecon/ecolat/br/10/jmp.htm. Acesso em: 23 out 2018.

MELLO, Leonel Itaussu Almeida. John Locke e o individualismo liberal. In: WEFFORT, Francisco Correia. Os clássicos da política. Santos: Ática, 2001.

MENGER, Carl. Liberalismo: Princípios da economia política. São Paulo: Lebooks, 2017.

MISES, Ludwig Heinrich Edler Von. Ação humana: um tratado de economia. São Paulo: Instituto Ludwig Von Mises Brasil, 2010.

MISES, Ludwig Heinrich Edler Von. Teoria e história: uma interpretação da evolução social e econômica. São Paulo: Instituto Ludwig Von Mises Brasil, 2014.

MOLLO, Maria de Lourdes Rollemberg. A questão da complementariedade das funções da moeda: aspectos teóricos e a realidade das hiper-inflações. Ensaios FEE, v. 14, 1993.

OLIVEIRA, Gilson Batista de; SCOVILLE, Eduardo Henrique Martins López de. As contribuições e o pensamento de John Stuart Mill no campo de economia. Revista FAE, Curitiba, v. 17, n. 1, 2014.

PEREIRA, Gonçalo Baldaque Marinho Camposo. Responsabilidade Civil Médicos – Fatores de Risco. 2013.

Dissertação (Mestrado em gestão) – Faculdade de Economia e Gestão – Universidade Católica Portuguesa, Cidade do Porto, 2013.

PIMENTEL, Manoel Pedro. Crime de usura. Conferência de direito penal da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. São Paulo. Conferências, 1974.

PONDÉ, J. L. Nova Economia Institucional. Rio de Janeiro: Fundação Getulio Vargas, 2007.

ROCHA, Márcio Mendes. Mobilidade forçada – a economia política dos deslocamentos humanos. Acta Scientiarum, v. 21, 1999.

ROBBINS, Lionel. An essay on the nature and significance of economic science. London: Macmillan and co., 1932.

ROBBINS, Lionel. A history of economic thought. New Jersey: Princeton University Press, 1998.

RODRIGUES, Domingos de Gouveia. Introdução à história do pensamento econômico (teoria econômica). Joinville: Clube dos autores, 2015.

ROOVER, Raymond de. Scholastic Economics: Survival and Lasting Influence from the Sixteenth Century to Adam Smith. The Quarterly Journal of Economics, v. 69, n. 2, 1955. Disponível em: https://www.jstor.org/stable/1882146. Acesso em: 14 out 2018.

ROTHBARD, Murray Newton. Economic thought before Adam Smith: An Austrian perspective on the history of economic thought. Aubum: Edward Elgar Publishing, 1995.

SABINE, George Hollan. Historia de la teoria politica. Ciudad de México: Fondo de cultura económica, 1945.

SÁNCHEZ-SERNA, Aracely del Socorro.; ARIAS BELLO, Martha Liliana. Concepción de valor y precio desde Aristóteles a los clásicos: una reflexión a la luz de las premisas de valoración de las Normas Internacionales de Información Financiera, NIIF. Cuadernos de Contabilidad, v. 13, n. 33, 2012. Disponível em: http://revistas.javeriana.edu.co/index.php/cuacont/article/view/4261. Acesso em: 12 out 2018.

SCHUMPETER, Joseph Alois. History of economic analysis. London: Allen & Unwin Publishers, 1954.

SOARES, Ricardo Maurício Feire. Reflexões sobre o jusnaturalismo: O direito natural como direito justo. Revista do Curso de Direito da UNIFACS, Salvador, v. 7, 2008.

THORTON, Mark. Cantillon on the cause of bussines cycle. The Quaterly Journal of Austrian Economics, v. 9, n. 3, 2006.

VENOSA, Sílvio de Salvo. Direito Civil – Direitos reais. São Paulo: 1999.

VIEJO-XIMÉNEZ, José Miguel. Totus orbis, qui aliquo modo est uma república: Francisco de Vitoria, el derececho de genres y la expansión atlântica castellana. Revista de Estúdio Histórico-Jurícos, Valparaiso, n. 26, Sección História del Pensamiento Jurídico, 2004.

WOODS Jr., Thomas Ernest. How the catholic church built western civlization. Washington: Regnery Publishing, 2005.

Published
2019-08-19
How to Cite
de melo, gabriel estruzani queiróz. (2019). The Influence Of Scholastic Philosophy on the Formation of Economic Thought. MISES: Interdisciplinary Journal of Philosophy, Law and Economics, 7(2). https://doi.org/10.30800/mises.2019.v7.1111